Doria multa Amoedo, Ciro, MBL e Alessando Vieira

 

14 de setembro de 21

 

 

Eu não posso acreditar que o Senador, membro da CPI da Baixaria, que é candidato a Presidência da República, tenha aglomerado sem máscara.

Acada dia que passa eu tenho mais ojeriza desse pessoal. Isso é atitude de bandido, de canalha. Escolham os piores adjetivos.

Esse Alessandro Vieira, assim como Canalheiros, Azia, Fala Fina, sapatearam sobre os caixões de vítimas do vírus, fizeram palanque sobre os cadáveres, culpando o Presidente da República pelas mortes, justamente por não usar máscara em público, por aglomerar.

Mas agora, por conveniência, fazem o mesmo. Todos esses canalhas que citei da CPI da esculhambação já aglomeraram, mais de uma vez, sem máscara.

É mais um motivo para eu dizer: essa palhaçada, e aqui eu falo com todo o meu respeito aos palhaços, já perdeu a graça há muito tempo.

Esse Senador deveria ser afastado da CPI e, além disso, ser incluído na investigação, porque eu não vejo qualquer diferença entre aglomeração presidencial e aglomeração senatorial.

É um escárnio à população brasileira, é um escárnio aos familiares dos mortos pelo vírus xingui lingui.

Esse pessoal da CPI já mostrou a todos que nunca se importaram com as vítimas da pandemia, que tanto faz para eles. O que eles querem é palanque, nem que seja sobre os mortos. Eles querem sapatear sobre as vítimas, sobre os familiares que perderam entes queridos.

Esse bandido desse Alessandro Vieira, esse facínora desse Senador, mostrou que não vale nada. Desde o início pensava em ser candidato à Presidência da República e se utilizou da CPI para se promover.

O povo de Sergipe deve estar muito arrependido de ter elegido esse canalha como Senador da República.

 

JORNALISTA AFIRMA QUE PATRIOTAS IRÃO ARMADOS PARA O 7 DE SETEMBRO E PEDE PARA NINGUÉM COMPARECER

 

 

Boa parte da mídia tem jogado contra a liberdade de informação, a liberdade de imprensa, isso tudo por ódio a Bolsonaro.

Nesse jogo, vale até passar pano para as loucuras ditas pelo bandido de nove dedos.

Eu ontem fiz um paralelo do que Lula pretende fazer com a imprensa e do que já foi feito na Venezuela, por exemplo.

Vejam que a imprensa está tão cega que ninguém falou nada a respeito, nem aquelas notas de repúdio.

Falar que vai censurar a mídia, se eleito for, não é um atentado à democracia, no entanto, sair às ruas trajando verde e amarelo, pedindo liberdade, exigindo que a voz do povo seja ouvida pelas autoridades políticas e supremas, aí sim, isso é uma afronta ao Estado Democrático de Direito.

Eu pergunto a vocês: nesses dois anos do atual Presidente da República, quantos incidentes ocorreram nas manifestações da direita? Quantos rojões foram arremessados? Quantos muros foram pichados? Quantos tiros foram disparados? Nenhum? Pois é!

A mídia, além de passar pano para um bandido que, se eleito for, vai perseguir e censurar os jornais, mente sobre as manifestações, não dando a devida cobertura dos atos e agora, mente vergonhosamente sobre a “Violência que serão as manifestações do dia 7 de setembro”.

O bom é saber que o povo sabe em quais manifestações há violência, disparo de tiros, arremesso de rojões. A esquerda, por onde anda, deixa um rastro de horror e sangue, tornando difícil a vida das outras pessoas.

 

UM PACTO PELA ESTABILIDA

 

 

 

A indicação de Ciro Nogueira para assumir a função de Chefe da Casa – Civil pegou de surpresa a muitos. Esse gesto do Presidente da República deu-se por conta de uma reorganização ministerial imprescindível.

O que sabemos é que, a partir de segunda-feira, Nogueira arrumará as malas para tomar posse no cargo mais importante da Presidência da República, depois do chefe da nação, é óbvio.

A mudança vem em boa hora. Mas, além de Ciro, o que mais será feito nos ministérios?

Luiz Eduardo Ramos, atual Chefe da Casa-Civil, cederá a sua cadeira ao Senador do Piauí, indo assumir a função de Secretário-Geral da Presidência da República, ocupado atualmente por Onyx Lorenzoni que, por sua vez, assumirá um novo Ministério, do Trabalho, o qual tem as funções concentradas nas mãos de Paulo Guedes, Ministro da Economia, que cederá à Lorenzoni as funções concernentes às políticas de geração de trabalho.

Com tais alterações, Bolsonaro sairá fortalecido para disputar as eleições de 2022.

A seguir, demonstrarei as principais estratégias do Presidência da República. Por meio delas, a oposição perderá força, facilitando a vida de Bolsonaro;

 

  1. Com a recondução de Augusto Aras ao cargo de Procurador- Geral da República (embora não seja Ministro de Estado, mas é responsável pela condução dos processos contra Bolsonaro), a tendência é que os processos contra o Presidente não avancem. Aras já sinalizou que o Ministério Público não será empecilho para as ações do Governo, que não atrapalhará o desenvolvimento do país.

Dessa forma, as ações de partidos de esquerda contra Bolsonaro não terão espaço. O exemplo mais notório é a suposta prevaricação de Bolsonaro. No início, parecia ser o maior escândalo do seu governo, no entanto, agora quem está na berlinda é Luis Miranda, Deputado Federal que imputou essa prática delitiva ao Presidente. A Polícia Federal acionou o STF, informando à Corte que Miranda imputou falsamente crime ao Presidente.

 

  1. A figura de Onyx Lorenzoni no Ministério do Trabalho será fundamental para a retomada da economia do país. Veja: muito embora a pandemia tenha dificultado a vida de muitos brasileiros, o Brasil não está tão mal assim. Exemplo disso é a previsão do Produto Interno Bruto – PIB, que já chega a casa dos 6%.

O líder da pasta, por ser alinhado ao Planalto, unirá esforços para criar milhares de postos de trabalho em todo o país. Certamente, Lorenzoni é o melhor nome para o Ministério. Isso porque, para conseguir esse tão grande feito, precisará fazer articulações com outros ministros, como Paulo Guedes, Tarcísio, Tereza Cristina, dentre outros. E isso ele faz muito bem.

 

  1. Ciro Nogueira à frente do Governo Federal representa a personificação da aliança entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo. Figura forte do Centrão, Nogueira é bem relacionado, tanto do lado esquerdo quanto da direita.

Pragmático, ele deverá atuar para apagar o fogo da Comissão Parlamentar de inquérito – CPI da COVID-19.

 

  1. O novo Ministro da Casa-Civil é peça fundamental na estabilidade da República. Uma vez que Bolsonaro oferece o mais alto posto estratégico do seu governo para o nome mais forte do centrão, sinaliza que não faz parte dos seus planos dar um golpe, como boa parte da imprensa vem afirmando reiteradamente.

Ciro Nogueira há muito atua como estrategista de Bolsonaro. Tendo livre trânsito em Brasília, Nogueira será peça fundamental para o bom relacionamento de Bolsonaro com os demais poderes, com destaque para o STF, que vê com muita desconfiança os impulsos e a falta de liturgia de Bolsonaro.

 

  1. Nogueira, nessa função estratégica, poderá abrir caminho para Bolsonaro no Nordeste. Como já bem pontuado, a boa relação que o Senador cultiva com lideranças políticas em todo o país será de fundamental importância para Bolsonaro, que deverá receber esse apoio. Em especial, nos nove Estados nordestinos.

 

Apesar das críticas à reorganização ministerial, uma dose de pragmatismo faz muito bem nessas horas.

Ciro Nogueira, como estrategista de Bolsonaro, acabará de uma vez por todas com a CPI da COVID-19, que já não goza de prestígio popular. Nogueira, além disso, jogará uma pá de cal na tentativa de impeachment do Presidente.

Esse casamento entre Bolsonaro e Ciro tende a ser duradouro, o que renderá muitos frutos importantes neste e no próximo Governo, com data marcada para se iniciar em janeiro de 2023.

aproximadamente 2 meses
Exibindo registros 1 - 25 de um total de 50
Aviso de cookies
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Saiba mais na nossa Política de privacidade