Direito

Por que PF interrogou ex-assessor de Trump em inquérito de atos antidemocráticos?

Publicado em: Quarta-feira, 08 de Setembro de 2021, 08:42h - Por: Redação
Compartilhar

Por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, a Polícia Federal interrogou nesta terça-feira (7/9) o empresário Jason James Miller, ex-assessor do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

O ministro Alexandre de Moraes mandou que os americanos fossem ouvidos pela PF
Rosinei Coutinho/SCO/STF

O depoimento foi colhido nas dependências da PF no aeroporto de Brasília, antes do embarque do empresário para os Estados Unidos. Outro americano, Gerald Almeida Brant, também foi interrogado pelos policiais.

A ordem de Alexandre de Moraes para que Miller fosse ouvido é parte do inquérito que apura manifestações antidemocráticas feitas por seguidores do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais. O ex-assessor de Trump veio ao Brasil para participar da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), que ocorreu no último fim de semana. Ele também se encontrou com Bolsonaro.

Em nota, os advogados dos dois americanos, Milena Ramos Câmara e João Vinícius Manssur, informaram que, até o momento, não tiveram acesso integral aos autos dos inquéritos. Por isso, Miller e Brant permaneceram em silêncio durante os depoimentos. "A defesa encontra-se à disposição das autoridades pertinentes para apresentação de esclarecimentos


Fonte: ConJur

Aviso de cookies
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Saiba mais na nossa Política de privacidade