Municípios

Asfalto de avenida de José de Freitas afunda na primeira chuva e moradores plantam pés de algodão nos buracos

Publicado em: Quinta-feira, 13 de Janeiro de 2022, 15:24h - Por: Redação
Compartilhar
Emanoel Wilson
As obras de urbanização da avenida Governador Lucídio Portella custam R$ 6,556 milhões e deveriam ter sido concluídas em 180 dias

O asfalto da avenida Governador Lucídio Portella, que fica na frente do Hospital de Nossa Senhora do Livramento, em José de Freitas (42 quilômetros de Teresina) foi implantado há três meses, mas nas primeiras três chuvas afundou criando grandes buracos e atolando carros.

Em protesto, os moradores de José de Freitas plantaram pés de algodão e jogaram folhas de palmeiras e de nino.
As obras de urbanização da avenida Governador Lucídio Portella, em José de Freitas, de 12,380 quilômetros quadrados, são do Programa PRO Piauí, coordenado pelo secretário estadual de Fazenda, Rafael Fonteles, foram iniciadas em setembro e estão abandonadas.

As obras de urbanização da avenida Governador Lucídio Portella custam R$ 6,556 milhões e deveriam ter sido concluídas em 180 dias, pela construtora Cerrado Engenharia Incorporadora. As obras são de responsabilidade da Secretária Estadual de Infraestrutura.

O açougueiro Clidomar dos Santos disse que quando as obras da urbanização da avenida Governador Lucídio Portella começaram, os habitantes achavam que seriam a realização de um sonho. "Foi um sonho que se transformou em pesadelo", afirmou Clidomar dos Santos 

"A urbanização da avenida seria muito importante porque todos passam por ela", declarou Israel Pereira da Silva, que é trabalhador autônomo. 

O motociclista Ari, disse que a urbanização da avenida é uma obra essencial para a movimentação das pessoas em José de Freitas. O município de José de Freitas é um canteiro de obras abandonadas, como a Quadra Poliesportiva da Unidade Escolar Antônio Freitas, que é um escombro de estruturas metálicas, matagal e ervas daninhas tomam de conta da arquibancada e todo o espaço.

A secretária da Unidade Escolar Antônio de Freitas, Osmarina de Araújo, disse que a Quadra Poliesportiva servia para as aulas de Educação Física para os alunos do colégio e para esportes dos jovens de José de Freitas. Ela declarou que as obras da Quadra Poliesportiva da Unidade Escolar Antônio de Freitas estão abandonadas desde 2015, mas em setembro do ano passado o governador Wellington Dias foi na unidade escolar e prometeu a retomada e conclusão das obras. "As obras nunca foram reiniciadas e os alunos continuam sem usar a Quadra Poliesportiva para as aulas de Educação Física", falou Osmarina de Araújo.

Na entrada de José de Freitas, o Governo do Estado abandonou uma Quadra de Esportes de grande dimensão há cinco anos. Cercada de mato, água e com os espaços destinados aos vestiários sujos de fezes, roupas íntimas e apetrechos para o consumo de crack.

A dona de casa Maria do Carmo Alves da Silva é vizinha da Quadra de Esportes, mora no local há 30 anos e conta que as obras do espaço esportivo estão abandonadas há 5 anos.
Segundo ela, morar vizinho a Quadra de Esportes é um risco porque o local se transformou em um espaço de prostituição e consumo de drogas. "Tem dia que quando amanhece ficam na quadra cinco calcinhas. Fazem sexo na quadra abertamente", falou Maria do Carmo.

O proprietário de uma marmoraria vizinha a Quadra de Esportes, Antônio Vieira, disse que trabalha no local há dois anos e não testemunhou nenhuma obra nova. "A cidade precisa de uma Quadra de Esportes para que as pessoas façam esportes e também para os jovens", declarou Antônio Vieira.


Fonte: Efrém Ribeiro

Aviso de cookies
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Saiba mais na nossa Política de privacidade