Municípios

Teresina é a 4ª capital mais violenta do Brasil, aponta Anuário Brasileiro Segurança Pública

Publicado em: Terça-feira, 28 de Junho de 2022, 17:13h - Por: Efrém Ribeiro
Compartilhar
Divulgação

Teresina é quarta capital mais violenta do Brasil, com uma taxa de 37 mortes violentas para cada 100 mil habitantes.

A capital do Amapá, Macapá, é a mais violenta do Brasil, com taxa de  63,2 mortes violentas por cada 100 mil habitantes; a de Salvador é de 55,6;  Manaus: 52,5; Boa Vista: 34,8; Fortaleza: 34,3; Recife: 33,1; Porto Velho: 32,4; Maceió: 29,8;  Aracaju: 29,4; João Pessoa: 28,1; Natal: 24; Rio Branco: 23,1; São Luís: 22,8; Palmas: 22,3; Belém: 22,3; Vitória: 21,1; Porto Alegre: 20; Rio de Janeiro: 19,2; Curitiba: 16,7; Goiânia: 16,6; Campo Grande: 15,3; Distrito Federal: 11,2; Florianópolis: 10,8; Belo Horizonte: 10,8; Cuiabá: 10,6; e  São Paulo: 7,7.

Os dados são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgados nesta terça-feira (28).
Macapá teve 63,2 mortes por 100 mil habitantes em todo o ano passado, o que representa uma alta 31% na comparação com 2020. São Paulo foi a cidade que registrou a menor taxa: 7,7 mortes por 100 mil habitantes, uma queda de 19%.

As mortes violentas intencionais incluem crimes como homicídios dolosos, feminicídio, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte, estupro seguido de morte, infanticídio e maus tratos qualificados pelo resultado morte. 
Salvador ficou em segundo lugar entre as capitais com maior taxa de mortes violentas, com ocorrência de 55,6 mortes por 100 mil habitantes. 

A capital baiana é seguida por Manaus (52,5), Teresina (37) e Boa Vista (34,8). Das 27 capitais, 21 registraram queda na taxa de mortes violentas. As seis que tiveram alta foram: Manaus (48,9%), Macapá (31,2%), Boa Vista (9,9%), Teresina (9,5%), Porto Velho (8,6%) e Salvador (3,4%).


Fonte: Efrém Ribeiro

Aviso de cookies
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Saiba mais na nossa Política de privacidade