Política

Governo do Piauí decreta falência e vai ao STF por não ter dinheiro para pagar parcelas da dívida pública junto à União

Publicado em: Domingo, 31 de Julho de 2022, 17:32h - Por: Efrém Ribeiro
Compartilhar

Efrém Ribeiro 

O Governo do Estado do Piauí ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF)  com uma ação civil informando a impossibilidade de pagar as parcelas dos contratos relativos à dívida pública, garantidas pela União
As parcelas tem  com datas de vencimento previstas para os próximos meses de agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro do ano de 2022.
A decisão será tomada pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, sobre o pedido de liminar impetrado pelo governo de Regina Sousa (PT)
As parcelas a vencer somam R$ 332.658.271,19, de contratos de financiamento.
O Governo do Piauí pede os empréstimos e agora diz que não tem dinheiro pra pagar.
Como se um cidadão financiasse pedisse um empréstimo ao banco , faz uma farra com dinheiro e depois diz que não tem dinheiro para pagar.

do Piauí decreta falência e ingressa com ação do STF informando não ter dinheiro para pagar parcelas dos contratos  da dívida pública junto à União
Efrém Ribeiro 

O Governo do Estado do Piauí ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF)  com uma ação civil informando a impossibilidade de pagar as parcelas dos contratos relativos à dívida pública, garantidas pela União
As parcelas tem  com datas de vencimento previstas para os próximos meses de agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro do ano de 2022.
A decisão será tomada pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, sobre o pedido de liminar impetrado pelo governo de Regina Sousa (PT)
As parcelas a vencer somam R$ 332.658.271,19 de contratos de financiamento.
O Governo do Piauí pede os empréstimos e agora diz que não tem dinheiro pra pagar.
Como se um cidadão financiasse pedisse um empréstimo ao banco , faz uma farra com dinheiro e depois diz que não tem dinheiro para pagar.

Aviso de cookies
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Saiba mais na nossa Política de privacidade