Últimas Notícias

Ford fecha acordo coletivo com trabalhadores de Taubaté

Publicado em: Quarta-feira, 07 de Abril de 2021, 12:15h - Por: Redação
Compartilhar
Reprodução/TV Vanguarda

A Ford fechou, na tarde da última terça-feira (06), um acordo de indenização para os cerca de 750 funcionários da fábrica de motores em Taubaté, no interior de São Paulo. O valor mínimo a ser pago a cada trabalhador é de R$ 130 mil, além de verbas rescisórias.

O tema estava em discussão desde janeiro, quando a empresa decidiu encerrar a produção de veículos no Brasil e passar a ser só importadora. Na fábrica da Bahia, que tem 4.000 trabalhadores, as negociações continuam.

Segundo nota divulgada pela empresa, o acordo negociado com o Sindicato dos Metalúrgicos foi aprovado pelos trabalhadores em votação, com 55% dos votos a favor.

“A proposta aprovada inclui uma compensação financeira adicional às verbas rescisórias e um programa de qualificação dos trabalhadores”, informou a montadora.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, o acordo prevê 2 salários extras por ano trabalhado aos horistas e um salário a mais aos mensalistas. O mínimo a ser pago é R$ 130 mil, mas para quem tem mais anos de casa, vai valer o que for mais vantajoso. Funcionários horistas lesionados terão bonificação adicional.

A entidade sindical informa que realizou 25 reuniões com dirigentes da Ford até chegar a esse consenso, mas a aprovação em votação individual feita por votos colocados em uma urna em frente à fábrica durante todo o dia mostra que os trabalhadores estavam divididos. Foram 630 votos, com 55,3% a favor e 46,2%. Os restantes votaram em branco ou nulo.

Pelo menos 100 funcionários continuam na fábrica produzindo peças de reposição de carros da marca, sem prazo definido para paralisação total. Eles também vão receber a indenização proposta aos demais. Não há ainda qualquer definição sobre o que ocorrerá com as instalações da fábrica.

Fim da produção no Brasil

No dia 11 de janeiro, a Ford anunciou o encerramento da fabricação de veículos no Brasil por “perdas significativas” nos últimos anos. A empresa fechará as fábricas de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e da Troller (Horizonte, CE) ao longo de 2021.

A empresa afirmou que a pandemia “amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”. A companhia manterá no Brasil a sede administrativa da América do Sul, o Centro de Desenvolvimento de Produto e o Campo de Provas.


Fonte: Poder360

Aviso de cookies
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Saiba mais na nossa Política de privacidade